Curso Integral de Fotografia - Capítulo 008 - A Profundidade de Campo

Profundidade de campo

Entre as consequências da Lei da Reciprocidade, talvez a Profundidade de Campo (ou DOF, do inglês Depth of Field) seja a mais marcante. Ela corresponde ao plano de foco útil, ou seja, às áreas onde a imagem permanece em relativa nitidez. Através do seu controle conseguimos deixar certas partes da imagem difusas, auxiliando a composição e mantendo a atenção do observador nos pontos de interesse. Podemos também manter nítida toda a cena, se necessário.

Nesta imagem podemos ver o resultado de uma profundidade de campo bastante estreita, que deixou em desfoque os planos anteriores e posteriores, enquanto se manteve nítida apenas uma pequena parte da cena.


A difusão atua sempre nos planos próximos e/ou nos mais distantes, preservando a nitidez nos planos intermediários, ou zona de de foco em uma extensão que depende de três fatores, como veremos abaixo.

A importância da profundidade de campo

Escolher por manter um fundo borrado ou nítido pode ter um impacto determinante na imagem. A composição da cena pode ser valorizada em qualquer um dos casos, de acordo com a temática geral da cena ou da importância que se dá ao seu elemento principal. Fundos nítidos e cheios de detalhes tendem a desvalorizar a presença de um elemento-chave, caso exista.

Mas em contrapartida oferece uma leitura abrangente e eficiente do espaço onde ele está inserido. Por outro lado, fundos desfocados permitem o isolamento de um elemento-chave, que terá um completo deslocamento da atenção do observador para si. Mas, profundidades de campo curtas podem reduzir a nitidez e aumentar a sensação de ausência de foco da imagem, o que pode ser desastroso. O uso correto de um ou outro recurso certamente determina o sucesso de uma imagem, e a escolha deve ser cuidadosa. Veja abaixo duas situações onde o recurso foi utilizado de maneira a fortalecer as imagens. Veja:


Nesta imagem, uma típica cena de paisagem, tudo precisa estar em uma grande zona nitidez. Percebe-se cada detalhe da cena por causa do uso de uma profundidade de campo muito ampla. Se os primeiros ou últimos planos estivessem desfocados, não seria possível captar os detalhes e a amplitude da cena.


Já nesta imagem, de grande carga poética, o fundo desfocado pela estreita profundidade de campo transformou os pontos de luz e os detalhes de fundo (folhas, galhos e reflexos) em borrões, deslocando a atenção para o galho e a planta no primeiro plano. Se o fundo estivesse nítido, haveria um “duelo de atenções” entre as diversas texturas da cena, eliminando o senso estético. O efeito difuso provocado pela profundidade de campo curta também é chamado de bokeh (procuncia-se “boquê ”), que é a palavra em japonês para “desfoque”.

Regras da Profundidade de campo

Há 3 situações que nos permitem controlar a profundidade de campo. Todos eles podem se combinar, incrementando ou diminuindo os efeitos do outro. São eles:

Regra #1: Abertura do diafragma

Quanto MAIOR a abertura do diafragma (números “f” menores), MENOR será a profundidade de campo. Quanto MENOR abertura do diafragma (números “f” maiores), MAIOR será a profundidade de campo. Para desfocar o fundo ou o primeiro plano, use aberturas grandes (números “f” menores). Para manter ampla área de nitidez, use aberturas pequenas (números “f” maiores). Exemplos:

f/1.4 = Menor profundidade de campo, maior desfoque, menor zona de nitidez.
f/22 = Maior profundidade de campo, menor desfoque, maior zona de nitidez.



Regra #2: Distância

Quanto MAIOR a distância, MAIOR será a profundidade de campo. Quanto MENOR distância, MENOR será a profundidade de campo. Para desfocar o fundo ou o primeiro plano, se aproxime do motivo. Para aumentar a área de nitidez, se afaste. Exemplos:

Fotografando de perto = Menor profundidade de campo, maior desfoque, zona de nitidez estreita.
Fotografando mais distante = Maior profundidade de campo, menor desfoque, zona de nitidez ampla.



Regra #3: Distância focal

Quanto MAIOR a distância focal (comprimento da objetiva), MENOR será a profundidade de campo. Quanto MENOR distância focal, MAIOR será a profundidade de campo. Para desfocar o fundo ou o primeiro plano, use lentes longas. Para aumentar a área de nitidez, use lentes curtas. Exemplos:

Objetivas mais longas = Menor profundidade de campo, maior desfoque, zona de nitidez estreita.
Objetivas mais curtas = Maior profundidade de campo, menor desfoque, zona de nitidez ampla.



Efeitos da abertura do diafragma na profundidade de campo

A tabela abaixo mostra os efeitos da profundidade de campo em relação à abertura do diafragma. A câmera foi posicionada à 1 metro dos carrinhos, em um tripé, e permaneceu sempre na mesma posição. Foram alterados dois valores a cada foto: abertura do diafragma (a cada foto, foi fechado 1 ponto) e tempo de exposição (a cada foto, foi aberto 1 ponto), com o objetivo de compensar as quedas de luz provocadas pelos diafragmas fechados. Fica evidente o efeito do desfoque que se reduz em cada foto, à medida que o diafragma se fecha.



Diferenças entre os planos

O desfoque é sempre menor nos planos POSTERIORES ao ponto de foco do que nos PLANOS ANTERIORES. Note que o carrinho branco (primeiro plano) ainda apresenta muito desfoque mesmo com os diafragmas que conseguem mostrar detalhes no carro vermelho. Isso está ligado à REGRA #2, que determina o desfoque através da distância entre a câmera e o motivo. Como o carro branco está mais próximo, seu desfoque será maior.