Curso Integral de Fotografia - Capítulo 012 - Identificando objetivas

Identificando uma objetiva zoom

Toda objetiva possui informações gravadas em seu corpo que orientam o fotógrafo quanto às suas características. Alguns dados são padronizados, enquanto outros são específicos do fabricante. Estes dados são sempre informados nos manuais e catálogos, servindo como referência sobre os recursos presentes naquele modelo. Vamos tomar como exemplo uma objetiva de uso geral da Nikon, uma Nikkor 28-300. Em seu corpo há a seguinte inscrição:



Esta leitura indica que:

• Trata-se de uma objetiva situada entre “Angular” (18mm) e “Teleobjetiva)” (300mm), portanto de uso amplo, adequada para paisagens, retratos a curta distância e enquadramentos distantes.

• Por ser uma “zoom” de nível amador, as aberturas máximas não atingem valores que a classificariam como um equipamento de boa luminosidade. As objetivas profissionais permitem ampla abertura do diafragma em todas as posições do zoom.

Outro exemplo, uma “zoom” profissional. Dessa vez, uma Canon 70-200:



Esta leitura indica que:

• Trata-se de uma objetiva situada entre “Meia-tele” (70mm) e “Tele” (200mm), portanto, adequada para closes, retratos a meia distância e motivos onde não é possível manter curta aproximação, como fotografia de animais na Natureza.

• Sua máxima abertura de diafragma permanece a mesma em qualquer posição do zoom, sempre permitindo a máxima entrada de luz. Este recurso é essencial na fotografia profissional, e é possível, em parte, por conta da maior área da captação de luz, o que exige elementos maiores e de produção mais dispendiosa.

Identificando uma objetiva fixa, ou “prime”

Essas objetivas não possuem zoom, e normalmente permitem aberturas de diafragmas bem mais amplas, com maior entrada de luz. Tipicamente possuem maior qualidade de imagem, apresentando maior nitidez, maior contraste e menor aberração cromática. No exemplo abaixo, temos uma Nikon 85mm f/1.4.



Esta leitura indica que:

• Trata-se de uma objetiva “Meia-tele”, portanto, adequada para retratos a meia distância

• Sua abertura de diafragma é muito ampla, permitindo a entrada de muita luz. Isso permite que seja utilizada em situações de pouca iluminação.

Terminologia

Todos os fabricantes possuem linhas de objetivas para atender a públicos específicos, seja em preço, seja em tipo de aplicação. Estas linhas podem trazer recursos diversos em seus modelos, e para facilitar a classificação dos equipamentos, os fabricantes definem “códigos” formados por siglas que identificam os recursos presentes.

Estes códigos ficam gravados no corpo da objetiva e são de grande importância para o fotógrafo que quer saber mais sobre seu equipamento. Na tabela abaixo veremos alguns dos recursos mais importantes presentes nas linhas, e as terminologias utilizadas para os representarem.



Entretanto, os fabricantes nem sempre indicam todos os recursos presentes em seus equipamentos, como os “elementos asféricos” nas objetivas da Canon ou “revestimento anti-reflexo” nas Sigma. Para ter uma referência completa dos recursos que uma objetiva traz em si, consulte seus documentos técnicos (manual, data-sheet, etc) ou pesquise os métodos e tecnologias do fabricante nos sites oficiais. Uma ótima fonte de pesquisa são os sites especializados em testes de equipamentos fotográficos, como:

- DPREVIEW.COM
- TOMHOGAN.COM
- DXOMARK.COM