Curso Integral de Fotografia - Composição - Capítulo 003 - As Linhas #1

As Linhas


Considero que a estrutura de idéias em minhas fotos deve fluir como em um texto, onde elementos simples de expressão se unem para transmitir sentidos complexos. Uso as linhas como os mais simples componentes dessa linguagem fotográfica, formando a base que dará suporte a todas as outras informações presentes na imagem. As linhas formam a estrutura da imagem.

Apesar de serem os elementos mais básicos na composição, é preciso treinar sua visão para encontrar as linhas de uma cena. Elas são os alicerces da imagem, e devem ser utilizadas tanto para transmitir sentidos básicos como para guiar o olhar do receptor pelo quadro. Atuam de várias formas: definem limites internos, conduzem o olhar, dão ‘pesos’ à áreas da cena, determinam o dinamismo geral da imagem.

Chamamos de linhas de força aquelas que são usadas na imagem para determinar características como sentido da leitura, caminho a ser percorrido pelo olhar, entre outras. Se bem empregadas as linhas podem ‘forçar’ um seguimento visual dentro da imagem para determinar ou sugestionar, em alto grau, a sua interpretação.

Há três tipos de linhas: horizontais, verticais e diagonais. Cada uma delas confere à cena um determinado caráter, e você precisa encontrá-las e determinar, através do enquadramento, quais terão mais força e presença na imagem.

  • Linhas horizontais são plácidas, contemplativas e expressam tranqüilidade. Elas formam bases de equilíbrio na cena, balanceando-se com trechos mais ativos.
  • Linhas verticais são dinâmicas e ativas. Sua presença cria fortes laços de atração com o olhar, e tendem a conectar a imagem com o observador.
  • Linhas diagonais são muito poderosas, altamente ativas e dinâmicas. Elas podem formar irresistíveis “caminhos” pela imagem que conduzem os olhos do receptor, além de também conectar elementos distintos.


Procure sempre encontrar as linhas na imagem e conceber previamente uma idéia do resultado que deseja. Estude os posicionamentos mentalmente antes de fazer a foto. Lembre-se sempre que o controle é seu, quem determina o resultado é você.

Linhas Horizontais


As linhas horizontais são naturalmente passivas. Por serem elementos muito relaxantes em uma imagem, elas podem ser utilizadas para criar sensação de tranquilidade e contemplação, ou ainda para aumentar a impressão de espaço físico. Dificilmente algo dramático será associado à elas, caso sejam utilizadas de forma excclusiva e integral na imagem.



Elas também podem ser utilizadas como pontos de equilíbrio em cenas verticalizadas, pois trazem uma forte idéia de estabilidade. Esta característica as tornam muito úteis como condutoras do olhar (embora sejam menos fortes do que diagonais nesta tarefa) principalmente em cenas que se desenvolvem no sentido da leitura e escrita ocidental (da esquerda para a direita).

O uso de camadas horizontais pode contribuir para o aumento de interesse, pois cria um ritmo visual que cativa o olhar e atrai a atenção para efeitos de profundidade. Imagine sequências de ondas em uma praia ou montanhas à distância, uma após a outra. Esta padronagem visual traz ritmo e movimento à imagem, além de aumentar a sensação de distância. O olhar tende a seguir pelo padrão visual criado.

Algumas dicas preciosas:
- Tome cuidado com o uso de linhas horizontais excessivas ou muito fortes em temas dinâmicos, pois a imagem pode parecer sem sentido e desequilibrada. Nestes casos, prefira uma composição que valorize mais as linhas verticais ou diagonais.

- Fique atento também aos horizontes ‘vazios’, pois a foto pode ficar entediante. Nestes casos, resolva o problema combinando elementos que tragam algum impacto visual. Verticais são excelentes para isso. A única exceção se faz quando estes "vazios" são usados como Espaço Negativo.


Linhas verticais


Estas linhas são muito dinâmicas, estando diretamente relacionadas à força, presença e interação. Um elemento posicionado na vertical sempre será bastante destacado na imagem, e poderá sobrepujar facilmente qualquer outro elemento horizontal.



Elas podem ser combinadas com horizontais, com o intuito de trazer equilíbrio à cena. Em alguns casos, as horizontais se beneficiam bastante das verticais, que acabam por trazer algum interesse às outras linhas que estejam em contraste visual. Isso é especialmente interessante em cenários: experimente colocar um elemento vertical fazendo um contraponto com a linha do horizonte! Sempre funciona.

Equilibrio


Se possível busque equilíbrio entre as linhas, a menos que a imagem necessite de uma sobrecarga de "dinamismo’ ou mesmo de "placidez". As linhas verticais criam uma grande ligação com o receptor, e são fortes geradoras de interesse.

Tenha sempre em mente que o grande dinamismo provocado pelas linhas verticais pode enfraquecer outros elementos da imagem, não apenas as horizontais. Então, se você precisa posicionar elementos importantes horizontalmente, tome cuidado com eventuais linhas verticais que possam competir com tal elemento. O ideal é que estas linhas levem o olhar até o elemento, evitando disputas pela atenção.

Mesclando horizontais e verticais


A combinação de verticais e horizontais cria imagens de grande apelo gráfico. Procure elementos contrastantes e busque ângulos inusitados. Procure sempre fazer com que as linhas conduzam a atenção entre os elementos, oferecendo ao receptor conexões visuais e interações entre elementos no perímetro da cena.

Nesta foto, o olhar sobe pela vertical "A" (o deck) até chegar às verticais "B" (os meninos), para depois seguir pela horizontal "C", à esquerda.
No caminho, o olhar é levado a captar elementos para que a interpretação da cena seja feita.


Aprenda a ver padrões, luzes e linhas que ajudem a levar o receptor ao ponto de atenção, onde está o elemento-chave da imagem (o ponto focal). Isto aumentará a força da composição. Se o elemento precisa ficar centralizado, linhas laterais podem evitar que a imagem se torne estática.

Dica:
A combinação de linhas depende de observação cuidadosa da imagem. Não hesite em experimentar ângulos diferentes, se preciso deite no chão para estudar uma nova composição! Há combinações ocultas e grandiosas entre as linhas que só a visão atenta e desprendida poderá encontrar.


Linhas diagonais


Extremamente poderosas e úteis, estas linhas são essenciais e estão mais associadas ao dinamismo visual do que qualquer outra. Sua força de atração é tal atraem e guiam o olhar com muita facilidade, inclusive entre planos tridimensionais da cena, evocando profundidade na imagem.

Sua localização e utilização na cena dependem de muita sutileza, pois leves mudanças do ângulo de visão criam ou eliminam diagonais facilmente, principalmente nas cenas em perspectiva. Procure por elas de forma consciente e cuidadosa.

Um grande recurso destas linhas é capacidade de conectar elementos da imagem, gerando linhas subjetivas facilmente percebidas pelo receptor e vitais para a interpretação, pois podem criar relacionamentos e ligações entre partes isoladas da cena.

Note como os elementos A,B,C e D se interligam pelas diagonais (com o auxílio de verticais), conduzindo o olhar até a janela (E).


As diagonais podem também ser usadas para criar um senso de profundidade e movimento, convertendo o plano bidimensional de uma fotografia em algo quase tridimensional. Unindo segmentos de linhas podemos formar curvas pela cena, que também são muito importantes para a condução do olhar.

Sentido de leitura


A nossa leitura visual é amplamente determinada pela escrita. Em povos ocidentais, a interpretação visual se dá através de uma varredura que inicia no canto superior esquerdo e segue até o canto inferior direito. Na maioria dos povos orientais é o contrário, indo do canto superior direito ao canto inferior esquerdo. Isso dá uma idéia do valor no uso das linhas diagonais, pois através delas podemos sintetizar (e utilizar) os processos naturais de interpretação já presentes no inconsciente.

Sendo uma fotografia um conjunto de dados que se mostram todos ao mesmo tempo, o uso de um mecanismo que consiga definir ordem sequencial da apresentação é realmente importante. As linhas diagonais cumprem muito bem este papel.