Curso Integral de Fotografia - Composição - Capítulo 009 - Cortes

Cortes


No novo mundo da fotografia digital temos uma enorme liberdade na definição do formato das nossas imagens. No passado os filmes estavam disponíveis em várias dimensões, mas o formato tradicional da película de 35mm (24mm x 36mm) reinou absoluta, estabelecendo a proporção de 3:2. No início da fotografia digital, quando os monitores disponíveis ainda não estavam disponíveis em formatos «Wide Screen», a proporção era de 4:3, o que gerava fotos mais quadradas. Hoje, com monitores mais alongados, retornamos ao 3:2, obedecendo ao legado dos filmes mais utilizados no passado.

Porém, devido à grande facilidade de edição e alta resolução dos atuais sensores, não precisamos nos prender à proporção 3:2.Os programas de edição de imagens oferecem recursos que permitem o corte (ou «crop») da imagem no formato que desejarmos. Esta possibilidade abre muitas caminhos para a composição criativa, com enquadramentos inusitados e mais compatíveis com o conteúdo da imagem.
Isso também exige uma nova sensibilidade do fotógrafo, que precisa aprender a enquadrar a cena imaginando cortes diferentes do que vê pela ocular da câmera. As noções de métrica precisam ser utilizadas com intensidade no momento do enquadramento, pois o real posicionamento das linhas, pontos de interesse e outros elementos só será consolidado posteriormente, na tela do computador.

Ao lado podemos ver alguns exemplos de cortes. A escolha por alterar a proporção da imagem deve levar em conta o ganho que teríamos na interpretação da mesma. Algumas cenas seriam bastante valorizadas com cortes panorâmicos, enquanto outras funcionariam melhor com cortes quadrados. É claro que os cortes eliminam informação da imagem, descartando pixels e diminuindo a resolução gráfica. Portanto, seja cuidadoso e aplique este recurso apenas quando necessário.

Como cortar corretamente uma foto?


Há truques básicos que permitem bons resultados quando um corte é necessário:

- Faça uma composição, no momento do disparo, que já considere o corte posterior. Enquadre de maneira a facilitar a recomposição mais tarde.

- Utilize a máxima resolução possível da sua câmera, usando formatos profissionais como o RAW. Cortes eliminam quantidades significativas de pixels, então não economize memória do seu cartão: fotografe sempre em qualidade máxima.

- Descubra os diafragmas mais nítidos das suas objetivas e use-os nas fotos que serão cortadas.

- Em panorãmicas, pense em enquadramentos mais abertos e pontos áureos mais afastados. Use os terços baseados na Simetria Dinâmica.

- Evite a tentação de retirar muita informação da imagem. Um simples corte sutil pode dar muita ênfase à composição, portanto, experimente opções de cortes menos agressivos. Como regra geral, evite retirar mais do que 15% da imagem.

- O corte pode ser baseado em proporções diferentes do 3:2. Muitas vezes uma composição em formato tradicional ganha impacto com pequenos cortes de elementos discordantes das laterais ou cantos, como se um pequeno zoom fosse aplicado à objetiva, mas cortes diferenciados também alcançam bons resultados se estiverem de acordo com os elementos da composição..

- Para imagens panorâmicas, experimente combinações de várias imagens ao invés de cortar apenas uma. Faça várias fotos deslocando a câmera lateralmente entre uma e outra, e use os recursos de montagem presentes nos programas de edição para reuni-las em uma única e extensa cena.

- Seja criativo na composição e pense além do que vê no visor da câmera. Procure conexões interessantes ao longo da cena e utilize menos zoom na objetiva para cobrir o máximo possível destes elementos.

- No momento da edição, interpole a imagem após o corte, restaurando sua largura ou altura original, em pixels.

- Se a foto foi feita em RAW, trabalhe sempre em 16 bits. Mude para 8 bits apenas no final, e só no caso de gravar a imagem final em JPG.