Fotografia preto-e-branco: Como abrir mão das cores?

image
Texto e fotos: Hudson Malta

Um dos desafios da fotografia PB é a aceitação da perda das cores, ainda mais se existir uma boa relação cromática na imagem. Mas há alguns métodos e conceitos que podem ajudar a resolver esta dura questão! O que trago abaixo é baseado em meus processos diários e naquela busca interminável pela comunicação imagética perfeita. Espero que ajude.

A importância da cor

Diferente dos filmes PB, onde captação já eliminava as cores, no PB digital o melhor resultados está na conversão de fotos coloridas. Isso é feito pelo controle da luminância nos canais de cores, e fica ainda melhor quando feito em arquivos RAW. Eles guardam muitos dados sobre a cor, ao contrário do JPG, que perde muita informação em seus protocolo de compressão e arquivamento. Leia mais sobre isso aqui.

As cores exercem papel óbvio, mas a sua retirada pode aumentar os valores dos grafismos da imagem. E com eles, aumentam também seus simbolismos! A Semiótica nos fala sobre estes significados, que foram assunto neste artigo aqui.

na prática...

Para entender como criar atrativos sem usar as cores, vamos analisar a forma como converti essa imagem:


Fiz essa foto em Arraial d´Ajuda/BA, lugar mágico onde as casas são pintadas com cores vivas, bem típico do Nordeste. Na imagem há um contraste espetacular entre cores complementares, pendendo bem levemente para uma combinação chamada de Divisão Complementar (Split Complementary), onde 2 cores análogas, amarelo e verde, se opõem ao outro lado do espectro, o azul. Falarei mais sobre isso em outro artigo.

Decidir pela perda deste forte conjunto de cores não foi fácil! O resultado final foi este:


Nota-se que a foto continua interessante, mas em outro aspecto: o minimalisto entra em cena e as interações dos elementos ganham força. As plantas subindo pela parede (verticais ativas, crescimento, liberdade) se chocam com a geometria fria das horizontais passivas de uma rígida janela fechada, cuja função evidente é ´bloquear´!

Pronto! Cria-se um contraponto curioso na imagem! O argumento está criado e pronto para ser interpretado! Com a distração das cores, estes valores ficariam ocultos. Sem elas, surge a valorização gráfica e o reforço das simbologias.

Este é um dos principais truques na confecção de fotos PB: o uso da força dos grafismos. Elementos como simetrias, linhas, conexões, agrupamentos, repetições de padrões, formas e curvas naturais tendem a ser excelentes atrativos visuais que podem substituir cores com muita força.

Armadilhas subjetivas

O outro truque diz respeito ao lado subjetivo. Sentimentos e sensações podem ser ativadas por códigos visuais, e a distração presente na leitura/interpretação das cores pelo cérebro pode afetar a percepção destes detalhes. Sendo assim, a ausência da cor parece liberar a atenção para outros tipos de detalhes e estimulos visuais, que podem ser espertamente utilizados na composição da foto. O preto-e-branco é um meio excelente para a transmissão de mensagens através de subjetividade.

Sobre a conversão

Para a conversão utilizei alguns recursos do Nik Silver Effects Pro. Usei a ampla curva tonal e a boa latitude de exposição do filme alemão Agfa APX 400 (descontinuado em 2005) para manter a sutil textura da parede, mas alterei sua resposta aos azuis para deixar a janela mais iluminada. Como sempre, ignoro os presets prontos de fábrica. Prefiro criar e usar meus próprios processos para garantir a coesão no estilo visual entre minhas fotos, principalmente em PB.


Tambem suavizei o padrão granular deste Agfa para que eu pudesse usar meu próprio grão, que tem uma textura bem mais radical por causa do meu gosto pessoal.

Criei um método no Photoshop que chega perto da ´sujeira´ típica dos meus desenhos com grafites macios sobre papéis pesados, como pode ser visto aqui. Nas minhas fotos PB, a granulação é aplicada apenas ao final de tudo.


Eu gosto muito da rudeza granular do Ilford Delta 3200, e uso uma textura parecida até mesmo em meus desenhos digitais (veja alguns exemplos aqui). Um grão altamente texturizado também contribui para realçar alguns aspectos gráficos da cena, principalmente o drama.

Conclusão

E assim chegamos ao que chamo de ´melhor forma de abdicar das cores´: fazer com que os grafismos e a semiótica da imagem ganhem força, apostando alto na comunicação pelos símbolos da imagem.

Este é um dos meus métodos, amigos. Há muitas possibilidades, e cabe à sensibilidade e criatividade do fotógrafo perceber detalhes e utilizá-los. Em fotografia PB, isso normalmente ocorre ANTES do disparo. Escrevi vários artigos no blog falando sobre isso, aproveite!

Este e muitos outros temas são vistos em detalhes no nosso WORKSHOP DE FOTOGRAFIA EM PRETO-E-BRANCO, que se inicia em 04/outubro/2019. Veja mais detalhes aqui.

Espero que este artigo lhe seja útil! Boas fotos e até a próxima!



Se você gostou deste artigo e quer receber novidades diretamente em seu e-mail, assine nossa newsletter e fique atualizado!