Making-of: A Tartaruga Marinha!

image
Copyright @ 2019 Hudson Malta - Todos os direitos reservados. Replicação proibida.

Vamos a mais um making-of! Quem me conhece já sabe que a fotografia não é minha única arte, e que uso o desenho e pintura como base para exercitar a criatividade, a observação e a compreensão da luz. E dessa vez o objetivo era caprichar em algo que trouxesse grandes desafios e aprendizados! Vamos ao trabalho!

  • Veja mais detalhes desta arte no portfolio >>>


  • recursos

  • PC com Windows e Photoshop CS6 velho de guerra
  • Wacom Intuos
  • Brushes diversos (veja mais embaixo)
  • Finalização em TIFF 16 bits para impressão em formato A2 no papel Hahnemuhle Photo Luster 270gr, pigmentos Ultrachrome K3
  • Nos fones de ouvido, inspiração sonora com o excelente Post Rock do God Is An Astronaut e do Distant Dream.
  • Tempo total não calculado

    o conceito

    Sem muita frescura nesse ponto. Queria apenas algo que trouxesse desafios gráficos. Pensei até em aumentar o drama entre a tartaruga e a aproximação humana, colocando alguns sacos plásticos na água, mas preferi ser simples, gráfico e direto. Ou em outras palavras, fiquei com preguiça mesmo.

    Brushes

    Eu gosto de me manter simples na escolha dos brushes. Meu set de trabalho é formado, em maioria, por brushes que eu mesmo criei, baseados nos meus materiais de desenho reais (lápis macios, bicos de pena, etc). Vario as transparências e dimensões dos brushes sempre, mas me mantenho básico. Keep it simple. Nessa arte usei basicamente esses carinhas aqui:



    Preparação

    Sempre inicio meus desenhos com telas de 6000 x 4000 pixels (24 megapixels) em 16 bits, no espaço de cor Adobe RGB 1998. Isso me garante detalhes gráficos, cores precisas e gradações suaves em áreas sutis de luz e sombra. Com 24MPx consigo ampliações excelentes no papel.

    o sketch

    Em um canvas branco, tracei o sketch inicial com a ideia que tinha em mente. Todos os detalhes da arte já estão na cabeça, principalmente a mensagem, mas eventualmente algo pode mudar no decorrer do processo. Essas são minhas linhas guias.



    Luzes e cores do cenário

    Adiciono a cor básica do cenário e uma luz-guia, que será a principal fonte de iluminação da arte. Todas as minhas sombras precisam obedecer à estas luzes e cores. Aqui o desafio foi trabalhar com duas cores distintas: o céu alaranjado e o mar azul.

    Minha luz principal vinha do sol poente ao fundo, por detrás dos prédios, mas imaginei um céu claro agindo como um enorme refletor, espalhando luz difusa por todo o ambiente.



    A Forma básica

    Neste passo defino a forma principal. Inicio a demarcação usando uma cor sólida como base, que neste caso foi um verde-escuro. Costumo usar "slave layers" sobre a camada-base para adicionar as sombras e luzes, usando-a como limitadora para as pinceladas. Não curto usar seleções. Diminuo a intensidade do sketch, deixando apenas sua leve sombra como guia.



    massas de volume

    Agora defino as grandes massas de volume com sombras, em pinceladas largas. Eu as uso como guias para os detalhes à frente, mas não me preocupo com eles ainda. O importante é focar nos volumes.



    As massas de luzes vem em seguida. Os volumes vão tomando forma.



    detalhamentos

    Um passo muito importante nesta arte foi a inserção dos detalhes do corpo, como manchas e escamas. Eles definiram as formas mais críticas.



    acerto de luzes e cores

    Chega a hora de um ajuste geral! Acertei as luzes e sombras, pensando sempre no volume. Reduzi algumas, inseri outras em pontos estratégicos, usando brushes mais precisos. Acertei as cores das patas traseiras, para que elas "sumissem" na água.

    O objetivo aqui foi usar valores precisos de luz e sombra, com base no que eu imaginei. Fiz também interações de reflexos subaquáticos, como no ventre e barbatanas. Já temos uma tartaruga!



    texturas

    Agora, vamos às texturas. Usei um brush de traço fino e sólido, com uma iluminação aplicada à direita do traço, bem colada à ele, para fazer relevo. Com a paleta de cores que apliquei à pele do bicho desenhei ranhuras na face e nas barbatanas, sempre seguindo os volumes. Este passo foi importante, pois começo a definir detalhes muito pequenos.



    os ambientes

    Vamos aos ambientes. Pensei em luzes atravessando a água, vindas do céu luminoso. Então, fiz traços aleatórios em perspectiva com brushes largos, esticando-os por toda a água. Apliquei o blend mode "Soft Light" para chegar na lumnosidade certa.



    Criei também reflexos desta luz no fundo d´água, desenhando formas circulares aleatórias com um brush bem macio e difuso. Alguns ajustes de luminosidade com o Soft Light (uso muito isso) e pronto. Cheguei no efeito 3D necessário para ambientar o espaço.



    Para o cenário externo, simplesmente criei prédios usando seleções retangulares, traçando blocos de tamanhos aleatórios e pintando em 3 cores diferentes. Para as janelas, criei um brush composto de 10 pequenos retângulos, e os "salpiquei" pelas paredes com tinta branca.

    Dei a forma arredondada de uma lente grande-angular retilinear usando ferramentas de distorção. Apliquei alguns reflexos com mais tinta branca e texturizei tudo com uma granulação bem exagerada, para ficar meio "underground".



    Com brushes suaves, desenhei a tona d´água separando os ambientes, dando a impressão típica de fotos sub em dois ambientes.



    mais aertos na luz e tons

    Agora é hora de um importante acerto de luzes, colocando tudo no lugar e retirando excessos.

    Ajustei as cores da cidade para interagirem com reflexos do sol e aumentei os brilhos e contrastes da tartaruga para encaixar às as novas luzes. Tudo já caminha para uma finalização.



    as bolhas

    Fiz as bolhas na água desenhando uma a uma. Usei quatro camadas, seguindo regras fotográficas da profundidade de campo: Bolhas mais desfocadas em primeiro plano, nítidas no plano da tartaruga, semi-desfocadas atrás da tartaruga e bem desfocadas ao fundo. Novamente, obedecer a direção da luz é primordial!

    Fiz as linhas, dimensões e quantidades das bolhas de forma a trazer dinâmica, sugerindo uma movimentação das barbatanas.



    Finalização

    Alguns pequenos ajustes de forma, textura e luz e chegamos ao fim. E claro, meu "ingrediente secreto" foi adicionado ao final de tudo! É um truque que criei para melhorar as minhas texturas, e que funciona muito bem. Também uso este recurso em minhas fotografias, não vivo sem ele! Qualquer dia, quando eu acordar bastante bem humorado (isso não é tão difícil!), talvez eu o revele. :)

    Este é o resultado final:



    Espero que este artigo seja inspirador, e que o ajude a desenvolver cada vez mais as suas expressões!

    Boas artes e até a próxima!

    Hudson Malta


    Se você gostou deste artigo e quer receber novidades diretamente em seu e-mail, assine nossa newsletter e fique atualizado!